domingo, 14 de julho de 2019


          A FLAUTA


                    A flauta é o primeiro dos instrumentos musicais concebido
               pelo homem. Os mais primitivos foram construídos em osso.
                    Posteriormente foram feitos a partir de diferentes variedades de madeira.
                   É um instrumento aerofone, quer dizer que emite som a partir da vibração
               provocada pela passagem do ar.




4 comentários :

  1. Muitas pessoas do tudo nosso povo disse isto…
    Em purugal agora..sempre, sempre muitos, muitos problemas em putogalo-landia…sempre!

    Agora em putugalolandia muitas pessoas vivem no pasado com cabesa no cu….em um mundo dos Fantasias e nao em nossa realidade de Sopas dos pobres, z-e-r-o trabalhos, economia lixa etc., etc. Que vai faser?

    E muitas pessoas tem vivendo no pasado tambem e por isso borar tudos comentarios que fala dos verdades!

    *Muitas pessoas vivem no mundo dos Fantasias agora em portugalo landia…muitas!!*

    putugal agora atolado na merda! Que vai fasser pa no “fix”?

    Nome: Pedro Lopes.Problemas? Nao Problemas amigos! Visitem meu pagina web no youtube e reportar os problemas a youtube ja que google, youtube e Blogger seu na mesma empresaria.
    Meu Pagina: https://www.youtube.com/channel/UCbdqhyJx-1yPliHs7_apF2g

    Beijos e boa sorte amigos �� E lembrate Sempre…que vai fasser tu? E Olivenza bella cidade Espanhola por Graca de Deus!! E lembrtae do Wiryamu Mozambique covardes portoputas?? do Wiryamu Mozambique covardes?? Nimguma pessoa fallar do isso?? putugal o pior colonizador no mundo!

    *****
    adicione meu Blog ao seu blog amigos!!!!!*****

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os problemas das carências de alfabetização tiveram o seu pico de ação há algumas décadas atrás. Reequilibrada a situação, a escolaridade obrigatória tem contribuído para combater a literacia.Não pretendo dar conselhos a ninguém mas é tudo quanto posso dizer.

      Juvenal Nunes

      Eliminar
  2. A música, enquanto fenómeno artístico, de sedução bilateral, acompanha-nos desde o antanho mais primitivo. Como arte pode preservar as suas origens alteritárias ao mesmo tempo que vai mantendo o seu aspecto particular, narcísico, de arranjo pulsional. Laplanche acha ser possível pensar que algumas obras «fecham» menos o sentido que desejam veicular, mantendo o enigma do que significam em aberto. As artes mais distantes da linguagem verbal ou representativa parecem ter vantagem em conseguir esse efeito de «guardar» o enigma.Todo o movimento de criação é uma tentativa de controlar o pulsional, de o fazer circular de forma menos conflitual com as redes egoícas. Este movimento pode ser mais sintomático, mais narcisista, ou pode conseguir ser mais bem endereçado ao outro. É apenas nesse sentido que preservamos algo da ideia de sublimação como uma actividade cultural: não que ela seja dessexualizada, mas, ao apontar para o outro como lugar de endereçamento,
    consegue reabrir esse espaço como lugar de origem. Agora, o outro deve também
    traduzir o que o artista quer dizer; deve ser tomado pelo enigma proposto, embora, nem sempre com respostas fáceis.
    Excelente publicação. A mim, pessoalmente, inspira-me este tipo de considerandos...
    Um óptimo Sábado.

    ResponderEliminar