terça-feira, 27 de junho de 2017


          POETAS MEDIEVAIS

           AFONSO SANCHES 




                                        Dizia la fremosinha:
                                                 - Ai Deus val,
                                                 com'estou d'amor ferida,
                                                 ai Deus val!
                                                
                                                 Dizia la bem talhada:
                                                 - Ai Deus val,
                                                 com'estou d'amor coitada,
                                                 ai Deus val!
                                                
                                                 Com'estou d'amor ferida
                                                 ai Deus val,
                                                 nom vem o que bem queria,
                                                 ai Deus val!
                                                
                                                 Com'estou d'amor coitada,
                                                 ai Deus val,
                                                 nom vem o que muito amava,
                                                 ai Deus val!


     Escreveu cantigas de amor de grande qualidade, das mais requintadas do género, verdadeiros exemplos de cantigas de mestria à maneira provençal.


1 comentário :

  1. Olá,J.
    Mais uma canção, esta de paralelística perfeita, pela repetição «Ai Deus val/ai Deus val».
    Só uma bisbilhotice: D. Afonso era filho bastardo de D. Dinis, mas depois foi legitimado. Casou com D. Teresa Martins e, no século XVIII chegou a ser aberto o processo de beatificação.
    Este trovador escreveu uma tenção(diálogo/discussão entre dois trovadores) com Vasco Martins.
    Obrigada pela divulgação.
    Um beijinho
    Mana

    ResponderEliminar